segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

todas as minhas caras são feias

todas as minhas caras são feias 
eu rio e os meus dentes amarelos são feios

eu rio e os meus dentes amarelos são feios
eu reclamo a brisa seca das manhãs
eu reclamo ter que acordar todas as manhãs
eu reclamo não foder todas as manhãs
eu reclamo as flores arrancadas do meu jardim

todas as minhas caras são feias
[eu tento fazer um poema, cara]
eu bebo dou cambalhotas
viro estrelas
tiro a camisa
[não, mãe, não tira]
e todas as minhas caras são feias

te digo beibe melhore
mas nada melhora 
[não bebe, mãe
]
eu vou trabalhar
eu vou estudar
[não bebe, mãe]
eu não quero ler nenhum livro
entendi
eu vou trabalhar
vou fazer tapioca com sal demais
vou fazer bifum com sal de menos
está sempre um frio a mais

todas as minhas caras são feias
e não importa se eu corro rio morro
todas as minhas caras são feias
a minha filha dorme [...]

1 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Nina,

Estou encharcando a caveira hoje, resolvi lavar a égua também.

beijo
Marcos