terça-feira, 30 de abril de 2013

fazer a loca, a roça, a ruça

eu ainda lembro quando lia diacov e achava caetano
eu ainda lembro quando sonhava caetano e acordava diacov
eu ainda lembro quando gozava caetano e metia diacov
eu ainda lembro eu ainda lembro eu ainda lembro
lembro até do dia que vi diacov uma caetano outra
lembro que foi quando o céu se desmisturou da terra
lembro que eu fiquei bestinha raivosa que a caetano se desmembrasse diacov
lembro todo dia toda dia mesmo o que eu lembro
é que tenho duas caetano melhor que caê diacov mió que ruça
e os pastos mais que nada de frumbenga pra gente se intranhá
e lembrá lembrá lembrá

3 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Nina,

Eu lembro que eu lia Vladímir Kaverin em espanhol porque estava aprendendo sozinho espanhol, lendo Dos Capitanes, Don Quijote, El diablo y la tecnica, etc...
Não por interesse em me aperfeiçoar profissionalmente, mas porque me apaixonara por uma colombiana. Só faço coisas por amor; plantar uma horta por amor aos 13 anos, e, aos 15, comeicei a poesia sem ter a mínima vocação.

Vais disse...

me vejo livre em vocês
meus alguns eus de que abri mão
para viver o eu provinciano
me livro numa ellena
me acho numa carla
me corta arte diacov
me adentra nua nina
posso dizer que amo vocês

beijos beijos

Carla Diacov disse...

<3 <3 <3

te amo tanto!