quarta-feira, 13 de junho de 2012

duas línguas dão mais prazer que uma



cantata al novio


no enlace su idea a mi
desabite el nombre y la furia
susanne déchevaux-dumesnil

de una sola etapa de los árboles maduros
hacia arriba con las manos
la noche es tan frío y el silencio pesa

viene, pega tu mano sobre mi
hasta que sea invisible al mundo
como por las tardes nouvelle vague

ofrece ahí fuera su ausencia
en lugar de mi - ínsula
y su doble - epistolarís

y nos quedamos lo más abollados
y olvidados - en nuestra sta. maría
tranquilos, como si gimotea



cantata ao namorado


não enlace tua ideia à minha
desabite o nome e fúria
suzanne déchevaux-dumesnil


em um só tempo de árvores maduras
para o alto com as mãos:
a noite está tão fria lá fora e o silêncio pesa


vem, cola tua mão na minha
até que seja invisível ao mundo
como às tardes nouvelle vague


oferece ao largo tua ausência
em detrimento de mim - insula
e o seu duplo - epistolarís


e fiquemos pois amassados
e esquecidos – em nossa sta.maría


calados como quem gane

[Fotografias da série: Estudo para dois espaços, 1977, de Helena Almeida, artista performativa contemporânea, Lisboa/ Portugal]

2 comentários:

Assis Freitas disse...

cantata piu bela,


cheiro

Marcelo Novaes disse...

"oferece ao largo tua ausência
em detrimento de mim - insula
e o seu duplo - epistolarís"




Eço es mui hermoso.







Beijo, Nina.