terça-feira, 15 de maio de 2012

concerto matinal pós-soviético

aurora

nenhum julgamento em maio
toca a pianola boilesen

eles são os outros, ó henning
executa no silêncio das línguas seu concerto
de bom dia - ó, gases! anima-te, ama-te ao meio!

toda a verdade tingida num só corpo nevá-realista

cruzador, proletariusze! 
anacrônica, atraente, a liberdade é uma agonística

a sibéria nunca existiu, novokuznetsk não existe
corre em tuas veias a pátria-colônia de pestes
sangre vermelho é o canal do mar branco

ó, yezhov! nunca ouviram a gulag song.

1 comentários:

Marcello Teodoro disse...

Tá produtiva demais você, hein ! Um ótimo poema atrás de outro ótimo poema...tudo transbordando. O "concerto matinal" é desconcertante...